terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

QUEM AMA CUIDA!

Essa é uma frase que ouvimos comumente, referindo-se aos devidos cuidados que deveríamos ter com aquilo que gostamos. Não é o caso da orla de Ponta de Pedras que, além de ser depósito de entulhos não é cuidada com o devido carinho que merece. Cada pessoa que pode, faz o seu trapiche sem observar nenhum padrão, talvez porque não é exigido. As embarcações ao atracarem, para ficarem separadas uma da outra, fincam qualquer pau para evitar que uma bata na outra. Quem pode coloca uma bodega para vender qualquer qualquer coisa que alguém compre e até uma máquina de açaí existe por ali. Claro, todos precisam sobreviver e como por ali passa uma grande quantidade de pessoas, principalmente meus irmãos do sítio, nada melhor do que ter seu ganha pão instalado na orla, tudo bem! O problema é que a frente da Cidade fica com uma péssima aparência e a sujeira aumenta muito, já que a Prefeitura não da a devida importância para manter a frente da Cidade limpa e bonita. O Prefeito atual até tem responsabilidade porque já ajudou ou administrou o Município durante 8 anos e agora foi eleito para mais 4, portanto, serão 12 anos. Mas esse descaso com a frente da Cidade já vem de longas datas, e mais, todos são responsáveis, desde aquele que joga restos de açaí batido ali debaixo da mangueira do Sr. João Ramos até os que fincam paus de qualquer maneira e após o uso não retiram, deixando a frente da cidade parece um paliteiro. Os que constroem os seus trapiches sem observar nenhum critério arquitetônico, é só olhar esse monte de toras empilhadas para constatar como fica feio, também têm a sua parcela de culpa pela feiura da frente da Cidade. Não sei se esse problema um dia será resolvido, mas outros municípios que tinham suas frentes feias, conseguiram melhorar bastante. Cito Portel e São Domingos do Capim que melhoraram suas orlas, mas nenhum se compara com a orla de São Miguel do Guamá. mostrada abaixo, facilmente identificada se comparada com a de Ponta de Pedras. Será que é difícil identificar nas fotos abaixo? Melhorar parece difícil, mas evitar e colaborar para não piorar seria muito bom.




sábado, 4 de fevereiro de 2017

PROMESSAS QUE NÃO SÃO CUMPRIDAS.


Nosso Marajó velho de guerra, caminha lentamente, com dificuldade e reclamando, parece aquele bajara cheio de rombos em que o proprietário vendo a água entrar, pega uma tabatinga e tapa um buraco aqui outro ali e assim vai levando a vida. O proprietário do bajara, ao chorar as suas magoas para o "patrão", recebe como consolo que será ajudado. O proprietário até acredito, mas as promessas jamais serão cumpridas. Assim é o Marajó. Os políticos quando estão no poder fazem uma série de promessas, o povo marajoara, necessitado e carente de esperanças sonha e aguarda pelo prometido, que nunca chega e assim, nosso velho Marajó não muda e quem mais sofre são as crianças que deveriam ser a esperança daquela região. Vivem sujeitas às dificuldades impostas pela própria região e pela pelo descaso das autoridades que deveriam, pelo menos, cumprir o prometem.
Abaixo algumas promessas que os "coronéis" da política que andam por aquelas bandas fizeram. Dinheiro foi gasto, o povo marajoara vibrou, mas, infelizmente, parece que foi tudo esquecido. Vejam:
PLANO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL - PAS.
"O Plano Amazônia Sustentável (PAS) propõe um conjunto de diretrizes para orientar o desenvolvimento sustentável da Amazônia com valorização da diversidade sociocultural e ecológica e redução das desigualdades regionais. Lançado em maio de 2008, pelo presidente Lula, o plano foi elaborado sob a coordenação da Casa Civil da Presidência da República e dos ministérios do Meio Ambiente e da Integração Nacional. Sua elaboração envolveu a participação dos governos dos nove estados da região amazônica e expressivos segmentos da sociedade civil por meio das consultas públicas que mobilizaram seis mil pessoas na região. Atualmente coordenado pela Secrtaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da Repúlica"

PLANO MARAJÓ.
"Este documento constitui a versão final do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável do Arquipélago do Marajó. Trata-se de um plano estratégico de desenvolvimento regional, referenciado no Plano Amazônia Sustentável (PAS), que estabelece novos paradigmas para o desenvolvimento da Amazônia Brasileira e suas sub-regiões"

VISITA DE MANGABEIRA UNGER AO MARAJÓ.
"A visita está confirmada para o dia 20 de junho, e o roteiro inclui os municípios de Breves, Soure e Afuá. Ele vem ver mais uma das “feridas” da Amazônia, como costuma se referir aos graves problemas que expõem a pobreza na região e impedem seu desenvolvimento."

CONSTRUÇÃO E REVITALIZADOS DE AERÓDROMOS.
"O Governo do Pará anunciou, nesta sexta-feira (12), que vai investir R$ 60 milhões para melhorar a infraestrutura de transportes aeroviários no estado. Entre as obras previstas estão a construção de aeródromos em 11 municípios, e a preparação de pistas de pouso e decolagem, áreas de manobras para aeronaves e estações de passageiros em 24 cidades paraenses. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), aeródromos são espaços destinados a pouso, decolagem e movimentação de aeronaves....
Os novos aeródromos vão ser implantados nos municípios de Cumaru do Norte, Floresta do Araguaia, São Geraldo do Araguaia, Curuá, Bom Jesus do Tocantins, Oeiras do Pará, Senador José Porfírio, Bagre, Muaná, São Sebastião da Boa Vista e Anajás.
Já os municípios de Santa Maria das Barreiras, Tomé-Açú, Cametá, Anapu, Medicilândia, Pacajá, Afuá, Cachoeira do Arari, Chaves, Curralinho, Ponta de Pedras, Portel e Santa Cruz do Arari terão seus aeródromos revitalizados."

CONSTRUÇÃO DO TERMINAL HIDROVIÁRIO DE PONTA DE PEDRAS.
"O projeto contempla a conclusão da obra da praça da orla, o novo e moderno terminal hidroviário, a conclusão da estrada da mangabeira, orla da praia da mangabeira e a construção do terminal de Santana, que será construído com o apoio do Programa Regional de Desenvolvimento do Turismo (PRODETUR), que também compõe nossa estratégia para o turismo contemplando a população local."

CONSTRUÇÃO DA NOVA ORLA DE PONTA DE PEDRAS.
Esta promessa foi feita pela Prefeita que assumiu a Prefeitura em 2013. Após ter esbandalhado a Casa Cabocla, local construído na frente da Cidade, onde o povo se reunia para participar de eventos que proporcionava alegria aos ponta-pedrenses, mas que a prefeita não gostava, daí a destruição. No local seria construído um palco conforme foto do projeto mostrada abaixo. Resultado, o município ficou sem a Casa Cabocla e sem um local para o povo assistir eventos quando tiver. Foi construído um prolongamento de uma calçada de uma praça para dentro do rio que banha a cidade e durante a campanha para reeleição, a ex-prefeita, anunciava que se eleita faria a segunda parte. Como não foi reeleita, a construção do palco será mais uma promessa não cumprida, infelizmente.
CurtirMostrar mais reações

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

TRANSPARÊNCIA E CONTROLE: AÇÕES QUE PODERÃO MUDAR PONTA DE PEDRAS.

As reclamações dos meus conterrâneos são as mais diversas, dentre essas, podemos citar como exemplos: o atraso no pagamento dos salários dos funcionários municipais; escolas que distribuem somente laranjas na merenda escolar; utilização indevida de viaturas da prefeitura (ambulância) para uso particular ou lanchas que foram construídas para serem usadas no transporte escolar foram abandonadas e não foram feitas as manutenções necessárias. Os vereadores, que deveriam bem representar o povo e evitar ou apurar o motivo dessas falhas administrativas, não cumprem as suas obrigações básicas, pois não cumprem uma das suas atribuições, que é o controle do executivo. A Câmara municipal, apesar do grande número de vereadores, nenhum teve a iniciativa de lutar pela criação de um portal, conforme prevê a Lei de Acesso à Informação. A Prefeitura, apesar de disponibilizar um portal, que foi tirado do ar, não disponibilizava informações relativas às verbas recebidas e gastas, da mesma forma, não disponibilizava nenhuma informação relativas à transparência municipal. O Prefeito administra o município sem a participação dos membros da comunidade, conforme está previsto no Conselho da Cidade, daí as decisões que poderiam ter a participação popular são tomadas unilateralmente. Essa forma de administrar já vem de muitos anos. quem assume a prefeitura não tem interesse em mudar nada, pois assim, a possibilidade das mesmas pessoas assumirem o controle das verbas municipais ficam restritas a um pequeno número de pessoas, como pode ser observado nos últimos 13 anos, em que apenas duas pessoas assumiram a prefeitura. Como esperar por mudanças? Dificilmente algo mudará se as mesmas pessoas forem as responsáveis por decidirem por muitos anos, pois uma pessoas não muda do dia para a noite. Por esse motivo, nosso município nunca melhora, pois são as mesmas pessoas, com os mesmos hábitos, com as mesmas ideias e muitas vezes com os mesmos assessores, que dirigem nosso município havia anos.
A transparência, que tanto se deseja, é a possibilidade de mudança na forma de administrar, pois o gestor terá que prestar contas de seus atos, terá que mostrar como está conduzindo a prefeitura e deverá incluir a participação popular independente de quem seja o gestor municipal. Terá que ouvir novas ideias, aceitar críticas e adotar posições de acordo com a vontade da população, que é quem sabe melhor do que ninguém das suas necessidades, mas hoje, por falta de participação, a população está relegada a segundo plano e não opina em nada, só reclama, sem ver as suas reclamações atendidas ou sequer respondidas, isto é: EM PONTA DE PEDRAS, FALTA TRANSPARÊNCIA.
Talvez nem se esteja precisando do melhor administrar possível ou o melhor gestor, o que precisamos, é de um líder que seja transparente e que tenha habilidade para dirigir pessoas, pois um bom líder é aquele que ouve as pessoas e sabe como conduzi-las a alcançarem determinado objetivo, no caso, ter uma Ponta de Pedras que possa proporcionar um melhor bem estar para os que residem no município, e nada se conseguirá, se os administradores não forem transparentes, pois há mais de 100 anos, o município é administrado como atualmente, e as melhorias foram poucas significativas. É preciso mudar.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

FERRAMENTAS EXTREMAMENTE NECESSÁRIAS PARA QUALQUER GESTOR.


CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE - CHA
Por - Jônatas R Silva - Administrador, mestre em Gestão de Organizações e Sistema Públicos. Servidor público federal e professor no Centro Paula Souza.
Uma nova filosofia que surgiu nos últimos anos para avaliação profissional é o intitulado CHA - conhecimento, habilidade e atitude. Outro tema que vem ganhando força nas organizações é a Gestão por Competência. O governo federal tem exigido que seus órgãos comecem a pensar numa administração baseada em competências do servidor, algo bem utópico ainda, mas que eu acredito que deve ganhar força nos próximos anos. Eu vejo o CHA como uma ferramenta que pode ajudar na implantação da Gestão por Competência.
Conhecimento é o sabor teórico. O conhecimento, em geral, é tácito, presente apenas na mente do profissional. O grande desafio das organizações é transformar o conhecimento tácito em conhecimento explicito, em um patrimônio da organização. É fazê-lo fazer parte da estrutura da organização, estar disponível a todos, ser democratizado por toda a empresa. O saber fazer deve ser conhecido de todos, isso é vital para sobrevivência de uma organização.
Habilidade é o saber fazer. O ideal seria a junção de conhecimento e habilidade, mas essa combinação nem sempre é possível. Muitas vezes quem tem o conhecimento não é quem executa. A habilidade, em regra, depende de prática, treino, erros e acertos. A prática leva a perfeição. Só que quanto mais se sobe na hierarquia, mais teórico e menos prático se fica. Em quase toda organização profissional quem planeja não executa e como "teoria na prática é outra" o serviço que é executado é muito diferente do que foi pensado. É necessária uma maior aproximação da equipe que planeja com a equipe que executa. Como fazer isso é a questão. Vejo isso como um problema grave organizacional e que muito pouco tem sido feito para ser corrigido ou pelo menos amenizado.
Atitude está ligada a ação. Não adianta ter conhecimento e habilidade e não ter atitude. Atitude é querer fazer. Muitos profissionais estão poucos dispostos a ter atitudes de mudança. Sabem que se algumas coisas mudassem o resultado final seria melhor. Mas para que mudar o que de certa forma está dando certo? Essa atitude é necessária para ocorrer à mudança. Atitudes são necessárias para se mudar paradigma.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

EQUIPE QUE CONDUZIRÁ OS DESTINAS DE PONTA DE PEDRAS PELOS PRÓXIMOS QUATRO ANOS.

                                        PREFEITO: PEDRO  PAULO BOULHOSA TAVARES.
Grau de Instrução: Ensino Médio Completo.
Ocupação: Empresário.
                                     VICE PREFEITO: CÍCERO BRITO..
Grau de Instrução: Ensino Fundamental Completa.
Ocupação:Aposentado  (Exceto Servido
VEREADORES.
1) Dona Alice.
 










Grau de Instrução: Superior Completo.
Ocupação: Administrador.
2) Elda Carlota.




 








Grau de Instrução: Superior Incompleto.
Ocupação: Outros.
3) Germano.













Grau de Instrução: Ensino Médio Completo.
Ocupação: Vereador.
4) Miguelito.













Grau de Instrução: Ensino Fundamental Incompleto.
Ocupação: Vereador.
5) Pastora Cleia.













Grau de Instrução: Ensino Fundamental Completo.
Ocupação: Outros.
6) Professor Carlinhos.













Grau de Instrução: Superior Completo.
Ocupação: Pedagogo.
7) Raimunda Grande.













Grau de Instrução: Ensino médio Completo.
Ocupação: Vereador.
8) Regina Silva.













Grau de Instrução: Ensino médio Completo.
Ocupação: Servidora Público Federal.
9) Sandoval Barbosa.












Grau de Instrução: Ensino Fundamental Completo.
Ocupação: Pecuarista.
10) Tio Quira.













Grau de Instrução: Ensino médio Completo.
Ocupação: Vereador.
11) Zeca Pinheiro.













Grau de Instrução: Ensino Médio Completo.
Ocupação: Outros.

sábado, 7 de janeiro de 2017

O MOMENTO É DE ESQUECER POLÍTICA PARTIDÁRIA E PENSAR EM PONTA DE PEDRAS.

As eleições terminaram, Ponta de Pedras tem um novo Prefeito. Se é bom ou não, foi a escolha da maioria dos eleitores, isso é a democracia. É evidente que tem insatisfeitos, mas agora é tarde. Daqui há quatro anos haverá eleições novamente e novo embate político certamente ocorrerá e quando isso acontecer, vencedores festejarão e vencidos ficarão tristes, isso acontecerá sempre de quatro em quatro anos, se nenhuma mudança ocorrer.
Hoje, diante da atual situação, em que está definido quem administrará PP nos próximos quatro anos, vencidos e vencedores devem se unir, pois PP precisa de todos, independente de simpatia pessoal ou política, pois o bem estar dos nossos irmãos deve estar acima de preferência partidárias. Depois, no momento certo, quando for necessário optar por este ou aquele candidato ou partido, aí sim, atuem como se candidato fossem.
Agora, em que a nova equipe está assumindo a prefeitura, certamente existem inúmeras pendências, nem sempre por culpa da prefeita anterior, mas são necessidades que apareceram devido ao crescimento do município e das melhorias necessárias para oferecer melhor qualidade de vida para todos que moram na nossa PP e são essas necessidades que precisam ser discutidas por todos, independente se perdeu ou venceu a eleição. Os assuntos que eu gostaria de ver serem abordados por aqui, discutidos por jovens, com boas ideias e ainda não inoculados pelo vírus da corrupção e ânsia pelo poder, são muitos e só como exemplo cito alguns:
a) Melhorar o trânsito na cidade, com a possível crianção de um órgão de trânsito;
b) Criação de um plano de saneamento básico;
c) Melhoria do abastecimento d'água, para evitar a eventual falta do precioso líquido. Imagine faltar água numa cidade cercada de água doce por todos os lados, que vergonha!;
d) Criar um plano de aquisição, distribuição e controle da merenda escolar, de tal modo que não falte merenda nas escolas:
e) Criar um planejamento para evitar que os salários dos funcionários municipais sejam pagos em dia, sem atraso.
f) Criar uma rotina de inspeção nas escolas, visando detetar necessidades para serem sanadas antes de virarem problemas sérios, onde a prefeitura teria que gastar muito mais dinheiro;
g) criar uma programação de treinamento, principalmente para os gestores das verbas municipais, para evitar eventuais erros, no manuseio do dinheiro público;
h) Estudar um forma de quitar os débitos pendentes da prefeitura com o governo federal, pois esses débitos prejudicam o nosso povo;
i) cumprir a Lei de acesso a Informação conforme previsto há vários anos;
j) Envidar esforços para que membros da sociedade ponta-pedrense participem da administração municipal, criando o Conselho da Cidade, reunindo regularmente para debater as prioridades para aplicação das verbas do município.
Ponta de Pedras tem inúmeras necessidades que podem ser discutidas e transformadas em projetos para serem atendidos, esses são apenas uns poucos que lembrei e que eu gostaria que fossem debatidos pelos ponta-pedrenses, pois é disso que nosso município precisa

sábado, 10 de dezembro de 2016

LER PLACAS COSTUMA EVITAR ACIDENTES.


No filme Terminal, o personagem Gupta Rajan, interpretada por Kumar Pallana, fazia a limpeza do aeroporto e após passar o pano molhado no piso, colocava uma placa amarela com letras pretas avisando que o piso era escorregadio. Depois sentava num banco, um pouco mais distante, para observar as pessoas que passavam pelo local. Não dava outra: as pessoas ao passarem, não liam a placa e estatelavam-se no chão, enquanto isso, Gupta danava-se a rir e quando era chamado, simplesmente respondia que as pessoas não liam a placa.
Infelizmente isso acontece com a maioria das pessoas, pois não somos um povo atento aos avisos existentes e muitos desses avisos são importantes e podem até evitar um acidente sério, como o ocorrido recentemente com a embarcação Luan, na Baia do Marajó.
As embarcações que transportam passageiros, são obrigadas a afixar uma placa em local visível, onde conste o número de passageiros que pode transportar e o telefone da capitania dos portos onde a embarcação é inscrita. Essa exigência tem dois objetivos, o primeiro é o passageiro saber a lotação da embarcação e o segundo é possibilitar às pessoas que avisem a capitania em caso de constatar excesso de passageiros. Isso até acontece, mas raramente alguém liga para a capitania denunciando excesso de passageiros ou outra irregularidade constatada. Em contrapartida, muitos até insistem em viajar em embarcação com excesso de passageiros e quando questionados, argumentam que nada acontecerá, até o dia que acontece.
Existem outros avisos nas embarcações que os passageiros sequer olham, algumas têm até desenho, como é o caso de um espaço destinado às pessoas com necessidades especiais existente na embarcação Salmista. Pois bem, numa das viagens que fiz na embarcação, saindo de PP, os passageiros, simplesmente entraram na embarcação e foram depositando suas bagagens exatamente no local destinado à pessoa com necessidade especial, tem até um desenho no piso, que foi encoberto pelo grande número de bagagens amontoadas ali. Bagagens que sequer foram devidamente arrumadas e peiadas para evitar a movimentação, pois o deslocamento da carga no convés faz com que a embarcação perca estabilidade. Observei que ninguém se preocupou com isso, pois a maior preocupação era com o café que era servido na popa da embarcação. A responsabilidade com a arrumação da carga é do imediato da embarcação, mas ele não apareceu por ali e na hora da desatracação o marinheiro encontrou uma certa dificuldade para retirar a prancha, porque a grande quantidade de carga amontoada no convés atrapalhava. 
Neste momento de grande comoção, é comum se culpar os órgãos que tem como responsabilidade estabelecer normas de segurança para os diversos tipos de transporte, mas muitos acidentes seriam evitados se os operadores desses transportes conhecessem bem a legislação e o povo colaborasse para o efetivo cumprimento. Essa pequena ação não acabaria com os acidentes, mas certamente diminuiria, até porque regras existem mas nem sempre são obedecidas.